28
Fev 09
publicado por hoogavermelho, às 20:01link do post | comentar

 

Mota é um treinador de futebol que no aspecto técnico tem alguns méritos indiscutíveis. Tanto é capaz de fazer um brilharete como o desta época, como um brilharete igual ao da época passada! Esta época, tem andado pelos lugares cimeiros, a época passada valeu-lhe, perdão, valeu à equipa que treinou a condenação por corrupção da antiga equipa dos Loureiros, para não descer de divisão!
 
Mota é um treinador de postura selectivamente arrogante, presunçosa e antipática, guardando afavelmente suas excepções ao endeusamento de sua pessoa e de seu putativo patrão.
Inda agora mostrou seu retrato-regra, em plenitude, perante perguntas de jornalistas na sala de imprensa do Estádio do Sport Lisboa e Benfica. Foi mesmo irritantemente … irritante! Já o fora ainda no banco, voltara a sê-lo no acesso ao balneário.
Mas tinha a sua razão! Acabara de perder o jogo, não tinha árbitro para desancar, tinha apenas a vitória moral para satisfazer o seu ego!
 
Mota tem, em nosso entender, aspirações ao treinamento do clube patrão, perante o qual sua arrogância, presunção e antipatia se desfazem em vénia cerimoniosa e bajulatória.
Seja como for, Mota tem todo o direito à pretensão. Até diria mais! Diria que tem mais legitimidade do que o treinador que joga playstation! Basta comparar o que cada um tem feito esta época no actual campeonato! Em cinco jogos com os grandes, contando já o de agora com o Benfica, ganhou dois, empatou dois e só perdeu um! O treinador de playstation, em quatro jogos com os grandes, perdeu três e só ganhou um! E até perdeu, em sua casa, com Mota! Ainda por cima, Mota viu a sua equipa muito menos apetrechada pelo patrão comum!
Quer dizer, o apóstolo Mota, menos dotado de artistas divinais, foi mais agraciado do que o mestre Jesus, pois elevou a sua equipa tão mais perto dos céus!
 
Mota venceu o FCP e o Sporting, sempre no covil destes. E venceu sem benesses de arbitragens e mesmo contra elas!
Venceu o Braga de um Jesus tão adulado, ainda no covil deste!
Só faltava vencer o Benfica!
 
Para Mota, vencer o Benfica não era só a cereja no topo do bolo! Era a compensação devida ao patrão pelos pontos que lhe surripiou!
Mota tem patenteado, desde então, um acabrunhamento indisfarçável! Vencer o Benfica era também o soporífero que aliviaria o peso de um remorso!
 
Mota certamente suspeita – e provavelmente, bem – que o atrevimento de vencer nas Antas, contra tudo e contra o árbitro, lhe poderá ter esbanjado a esperança do treinamento desejado!
Fizesse ele como Jesus! Deixar-se perder e ser escandalosamente roubado pelo árbitro … e ir tranquilamente jogar playstation, caladinho, tal como o chefe gosta!
Assim, se o mestre da playstation lhe ficar com o lugar, não será, certamente, porque Mota pretenda compensar o patrão, no jogo da segunda volta! Um jogo sobre o qual, talvez por isso, só a pergunta inocente de um jornalista lhe provocou súbita irritação e ácido azedume potencialmente ulceroso.
Se perder o lugar, será seguramente pelo atrevimento do passado! Mota sabe bem que o patrão paga tudo! Só não o sabia o pacóvio jornalista autor da inofensiva pergunta!
Mais umas dolorosas insónias para o putativo candidato ao treinamento no Dragão!
 
Pode compreender-se agora mais profundamente a irritabilidade e a frustração de Mota por este desaire!
 
Com todo o respeito, parece algo ingénuo convidar Mota a assistir aos jogos do Benfica, principalmente os disputados na Luz.
Mota já não tem nada para ver e para apreciar no que toca ao anti-jogo! Perante o seu saber, o presuntivo anti-jogo de Katsoranis não passa de um aprendiz de feiticeiro!
Mota fala de cartola! Há tantos anos a ensaiar as sus equipas para a representação!
 
Mota convenceu-se de que, havendo mais dos seus em campo por causa das lesões dos jogadores do Benfica – lesões, quiçá, apadrinhadas pela meiguice do físico dos seus rapazes – poderia vencer o jogo com um único remate à baliza, aliás, certeiro, durante os 95 minutos que ele durou!
Então era por isso que ele queria que o árbitro nunca mais terminasse o jogo!...
 
Não conseguiu, ficou-lhe a vitória moral do sufoco que só ele presenciou … e noticiou!
 
Mota não foi, nem se portou como o arruaceiro que alguns jornalistas inocentes quiseram apresentar!
Mota era apenas um treinador triplamente amargurado!
Não presenteou o patrão com três pontos surripiados ao Benfica!
Não se presenteou a si próprio como o treinador que vencia todos os jogos em casa dos três grandes!
E foi definitivamente derrotado pela playstation para o treinamento do clube condenado por tentativa de corrupção!

Concordo com o descrito no artigo.
No entanto, vou esperar pelo próximo jogo, para ver o que vai fazer o Leixões.
Será que vai jogar para ganhar o jogo, ou vai abrir as pernas ao mandante?

Quero ver se após esse jogo, que provavelmente vai perder se fala da mesma forma que falou agora

Quanto ao ir treinar o Porto, não acredito, num futuro imediato.
Vai Jorge Jesus. É essa a minha convicção

Saudações

Não me parece que Mota vá lá. Talvez Jesus, com a bênção Divina.
ohomemquecopiavamal a 1 de Março de 2009 às 23:43

mais sobre mim
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11

15
16
17
18
20

22
23
24
26


arquivos
2009

2008

links
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO